Close

Resenha: A Ilha do Dr. Moreau

A ilha do Dr. Moreau – H. G. Wells
Editora: Alfaguara/ Objetiva
Páginas: 176
ISBN: 9788579621130
 

À deriva, sem esperanças de sobreviver em alto mar, Edwarda ilha do dr moreau Prendick é resgatado por um navio em missão das mais incomuns: levar a uma pequena ilha no Pacífico algumas espécies de animais selvagens. Ainda debilitado, Prendick é obrigado a desembarcar na ilha junto com o carregamento. Lá, ele conhece a figura do dr. Moreau, um cientista que, exilado por suas pesquisas polêmicas na Inglaterra, realiza experimentos macabros com seus animais. Uma parábola sobre a teoria da evolução, também uma mordaz sátira social, ‘A ilha do dr. Moreau’ é um romance que, mais de cem anos após sua publicação original, permanece com a mesma força da surpresa e do horror.


Tudo começa quando o navio que Edward Prendick viajava naufragou, no qual ele conseguiu ser resgatado pelo barco do Montgomery, que é o cara que transportava animais para ilha, principalmente coelhos. Quando Montgomery encontra-o á deriva ela vai resgata-lo e leva-lo junto com ele para a ilha do Dr. Moreau, mesmo sendo contra a vontade do Prendick que só queria chegar ao seu destino.
Quando eles chegam na ilha Prendick começa a dar uma explorada para conhecer tudo, até o próprio Dr. Moreau que demora um pouco a aparecer na história.
Mas o que acontece é que não só humanos habitam a ilha, á também algumas espécies hibridas, ou seja, humanos e animais sendo eles resultados das inúmeras pesquisas e experiências que o Dr. Moreau fazia naquela ilha. O Dr. Tinha sido exilado por conta das suas pesquisas que envolviam vivissecção e por conta disso morava desde então na ilha.
Na ilha ‘as criaturas’ veem o Dr. como o seu criador, além de possuírem leis estritas onde eles repetem sempre que possível para se lembrarem o que devem e o que não devem fazer lá.  Até porque o que elas mas temem é voltar para a “casa da dor”, que o nome do local onde são realizados os experimentos com eles.
A medida que o Prendick vai circulando e explorando a ilha, a gente vai descobrindo todo ambiente sombrio cercado de perigos, armadilhas e incessantes gritos vindos da casa da dor.
 

Minhas Impressões

Umas das coisas interessantes que aparece nesse livro é que o narrador, em algumas partes, fala diretamente com o leitor então dá mais ainda a impressão de que o narrador de fato é uma pessoa que está ali, exclusivamente para te contar aquela história.
O livro é de um todo sombrio, não chega a ser uma história de terror, mas em certas partes por conta da forma em que o autor descreve ‘as criaturas’ e suas ações, dá para sentir pavor de algumas cenas.
De toda forma por trás de todo enredo da história dá para notar as críticas apresentadas devido justamente a ética nas pesquisas cientificas. E assim acaba trazendo a reflexão de até que ponto as pessoas podem chegar no uso de animais para pesquisas …?
É um ótimo livro, para quem gosta de ficção cientifica com um toque de horror, vale a pena ler.
Assinatura

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *